Quarta-feira, 21 de Novembro de 2012
Especificidade da Filosofia

  

A escola de Atenas

 

Platão e Aristóteles

 

 

A autonomia

Em primeiro lugar, a Filosofia é um saber autónomo porque é independente dos outros saberes. Isto é, a Filosofia é autónoma em relação à Ciência, à Religião, à Política e a todos os saberes além destes.

Isto não quer dizer que a Filosofia não aceite os contributos e viva de costas voltadas para os outros saberes; ninguém é completamente auto-suficiente.

Por outro lado, a Filosofia é autónoma porque faz o uso da razão humana, que estabelece as leis do pensamento. Assim, autonomia implica liberdade de agir de acordo com as leis que a própria razão formula. Se o Homem não seguisse as leis da sua capacidade racional, ele teria que se submeter a leis exteriores, pelo que seria dependente.

Afirmação da autonomia baseia-se na capacidade do Homem pensar por si mesmo, que, apesar de ser tão importante, é também muito difícil. Quando alguém se decide a pensar por si, tem que aceitar as consequências dos seus actos, não podendo atribuir culpas a ninguém. Do mesmo modo, quando consegue o que quer, pode-se orgulhar de ser dono da sua própria vida.

 

Radicalidade

Ser um saber radical significa "olhar" para os problemas pela raiz. Isto é, radical opõe-se a superficial.

Assim, ao ser radical a Filosofia busca os fundamentos mais profundos das coisas; questiona tudo, incluindo aquilo que todos aceitam passivamente. Para a Filosofia não há verdades sagradas; nada é definitivamente aceite ou inquestionável.

Ser radical significa também ver as coisas noutra perspectiva, não aceitando apenas uma forma de encarar as coisas.

 

Historicidade

A historicidade em Filosofia refere-se à sua própria história e à história em geral.

Em primeiro lugar, trata-se de um saber histórico porque a sua história assume um papel muito importante. Cada filósofo encara a história da Filosofia como se esta fosse sempre actual. Hoje pode-se estudar Platão, filósofo da Antiguidade, e encontrar ideias novas e actuais.

Por outro lado, a historicidade significa que o filósofo é profundamente

Influenciado pela história do seu tempo, pelo seu contexto cultural. Assim, a Filosofia não é um saber isolado, recebendo influências do seu meio ambiente.

Por outro lado, os filósofos influenciaram sempre o seu tempo, tendo contribuído, muitas vezes, para grandes transformações culturais.

 

Universalidade

Pela universalidade entende-se que a Filosofia tem por objecto o todo, a totalidade do Universo; nada é excluído do alcance da Filosofia.

Por outro lado, a Filosofia é universal porque as suas questões são universais, interessam e afectam toda a Humanidade.

Há ainda outro sentido, muito importante, para a universalidade. Este reside no facto deste saber procurar verdades universais, válidas para qualquer ser humano em qualquer lugar.

 



publicado por Branca Cerqueira às 15:53
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
22
23

25
26
27
28
29
30


posts recentes

O Ethos, o Pathos e o Log...

Agumentação versus demons...

Argumentação e Retórica

Especificidade da Filosof...

Do "filosofar espontâneo"...

A Utilidade Da Filosofia ...

Livros Recomendados Para ...

O que constitui uma boa a...

As condicionantes da Acçã...

As condicionantes da Acç...

arquivos

Novembro 2012

Junho 2011

Janeiro 2011

Fevereiro 2010

Outubro 2008

Novembro 2007

Outubro 2007

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds